Consumo de café tem seus benefícios, mas exagero pode trazer problemas à saúde, afirma nutricionista

Tomar um cafezinho é o costume de muitos brasileiros e promove muitos benefícios ao corpo humano, mas se ingerido em excesso pode ser prejudicial à saúde e o ideal é que seja consumido sem açúcar, como afirma a nutricionista Fernanda Branco, do Instituto de Gastro e Proctologia Avançado (IGPA).

O consumo exagerado do café pode ser a causa de ansiedade, nervosismo, inquietação, irritabilidade, dor estomacal, aumento da frequência cardíaca e insônia, mas entre seus benefícios está o uso para melhorar o foco, a concentração e até mesmo o desempenho físico, assim como pode auxiliar no quesito intestinal.

“O café pode auxiliar na evacuação, já que ele ativa as contrações no cólon e nos músculos intestinais. Diferente do que as pessoas pensam, a vontade de evacuar não ocorre pela cafeína, até mesmo porque os descafeinados também podem auxiliar nesse processo”, explica Fernanda Branco.

A nutricionista recomenda que seja ingerido até três xícaras de café por dia, mas com muito cuidado com o açúcar. Se o indivíduo sempre adoça com uma colher de chá ou com o sachê de 5g, e ingere três xícaras ao dia, no final do mês foi consumido quase meio quilo de açúcar pelo corpo.

O açúcar, como explica a nutricionista, aumenta o apetite e é calórico. Entre os benefícios de tomar o café sem o doce está a queda nos risco do paciente desenvolver diabetes.

“Não tomar o café com açúcar ajuda a controlar o desejo que sentimos por doce. O açúcar no nosso corpo estimula o organismo sente vontade de consumir novamente. Consumir sem açúcar e sem adoçante é muito mais saudável e equilibra os níveis de glicose no sangue”.

Além disso, a nutricionista acrescenta que o café é um estimulante e que ajuda a acelerar o metabolismo, diminuindo a fome e seus antioxidantes naturais promovem uma sensação de bem-estar e saciedade.

Abandonando o açúcar

A advogada Priscila Russo conta que desde a infância gostava de beber café com pão ou um bolo, sempre com açúcar.

“Eu amo café! Meu dia começa com uma xícara de café. Em 2013 eu decidi cortar o açúcar do meu cafezinho e para quem é uma formiguinha, como eu, foi um processo demorado”, conta Russo.

De acordo com a advogada, toda semana ela diminuía a quantidade de açúcar e até cortar totalmente foi um período de aproximadamente dois meses.

“Às vezes eu comia um doce ou chocolate e tomava o café sem açúcar, pois como a minha boca estava doce, isto amenizava o sabor puro do café. Mas aprendi a coar o café de forma correta, você não pode deixar a água do café ferver, pois ela queima o pó e o deixa ainda mais amargo. O ponto certo da água do café é quando ela levantar fervura, você já pode coar o café e com isto ele não ficará amargo”, explica.

Priscila comenta que retirar o açúcar é um gosto adquirido, um caminho sem volta.

“Depois que você aprende a tomar o café sem açúcar você percebe que o açúcar estraga o gosto maravilhoso do café”, finaliza.

Qual é o melhor açúcar?

A nutricionista Fernanda Branco explica que a diferença entre os açúcares está no seu grau de processamento e não no valor calórico.

Açúcar Refinado: é o mais conhecido entre os açúcares. Durante o processo de refinamento, alguns aditivos químicos, como enxofre, são adicionados para dar a coloração branca.

Em 20g: 77,4 kcal

Açúcar Cristal: é apresentado na forma de cristais grandes. Passa pelo processo de refinamento e 90% das vitaminas são retiradas.

Em 20g: 77,4 kcal

Açúcar Demerara: não recebe nenhum aditivo químico, ou seja, conserva as propriedades naturais.

Em 20g: 80 calorias

Açúcar Mascavo:é o que tem maior conservação dos micronutrientes.

Em 20g: 75,2 calorias.

“Resumindo, qualquer tipo de açúcar é açúcar!”, finaliza a nutricionista.

Deixe um comentário