Doença celíaca causa danos ao intestino delgado, explica gastroenterologista Roberto Barreto

Apesar dos sintomas semelhantes, há diferenças entre a doença celíaca e a intolerância ao glúten, o primeiro deles, por exemplo, causa danos ao intestino delgado, conforme explica o gastroentereologista e endoscopista Roberto Barreto, do Instituto de Gastro e Proctologia Avançado (IGPA) e e Centro de Endoscopia de Cuiabá (CEC).

O especialista explica que a doença celíaca é uma reação que os anticorpos do sistema imunológico tem após o consumo de glúten, ou seja, um tipo de proteína que é encontrada em alimentos como o trigo, cevada, aveia, entre outros derivados.

De acordo com o gastroentereologista, entre os tipos da doença celíaca temos a clássica, que é comum na infância, principalmente nos primeiros três anos, pois é um período em que ocorre a introdução de alimentos como sopas, bolachas, pães, entre outros alimentos industrializados com base de cereais.

“Entre os sintomas estão a diarreia crônica, falta de apetite, vômitos, dores abdominais e a desnutrição aguda, que se não foi diagnosticada corretamente, pode ser fatal”, afirma o médico.

Já a não clássica pode apresentar poucos sintomas, até mesmo confunde diagnósticos, tem como reação a fadiga, anemia, irritabilidade, dificuldade no ganho de peso e de altura.

Por último, existe a doença celíaca assintomática, ou seja, não apresenta sintomas. Em casos como este, Roberto Barreto destaca a importância do diagnóstico, pois se a inflamação não foi trtada, ela pode evoluir e ser a causa de anemia, osteoporose e câncer do intestino.

Diagnóstico
Roberto Barreto explica que o diagnóstico da doença celíaca é realizado através de exames laborais, sendo eles o de sangue, endoscopia com biópsia de duodeno e exames genéticos.

“Somente através deles os médicos conseguem ter um diagnóstico preciso, uma vez que os sintomas da doença celíaca são confundidos com de outras condições”, finaliza.

Deixe um comentário