Palestrantes avaliam como promissor o tratamento das DII’s no futuro

1ª Jornada Mato-grossense de Doenças Inflamatórias Intestinais aconteceu em Cuiabá e contou a presença de especialistas nas Doenças Inflamatórias Intestinais

No último sábado (19.05), dia em que se comemorou o Dia Internacional de Combate as Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), o Instituto de Gastroenterologia e Proctologia Avançado (IGPA), realizou a 1ª Jornada Mato-grossense de Doenças Inflamatórias Intestinais, o encontro entre médicos especialistas no assunto, abordou as últimas novidades sobre estas doenças. Segundo os Palestrantes, a medicina espera um grande avanço no tratamento das Doenças de Crohn (DC) e Retocolite num futuro breve.

Um dos idealizadores do encontro, o proctologista e diretor clínico do IGPA, doutor Mardem Machado, comentou sobre os temas abordados e do nível de conhecimento apresentado pelos palestrantes durante o evento.

“Trouxemos vários especialistas em doenças inflamatórias intestinais, doutores e pesquisadores de renome nacional. O nível do encontro superou as expectativas, acredito que tanto os médicos que vieram assistir as palestras quantos os palestrantes vão sair daqui com uma nova visão e com mais conhecimento sobre os temas discutidos”, afirmou Machado.

O gastroenterologista Mauro Bafutto, que falou sobre as novas drogas no manejo da Doença de Crohn, que é uma doença inflamatória do trato gastrointestinal que afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), apresentou boas expectativas para o tratamento de pacientes acometidos pela enfermidade.

“O futuro para o tratamento da Doença de Crohn é promissor, vários alvos terapêuticos estão sendo pesquisadas, moléculas pequenas que podem ser usadas por via oral apresentam bons resultados clínicos e em breve poderão estar no mercado. No Brasil, as mais recentes drogas para o tratamento da DC se destacam pelos bons resultados clínicos, dando aos pacientes uma melhor qualidade de vida”, ressalta Bafutto.

Já o proctologista e residente da Sociedade Brasiliense de Coloproctologia, doutor Dannilo Brito Silveira, que palestrou sobre o Impacto da Terapia Biológica na Cirurgia da Retocolite Ulcerativa (RCUI) também apresentou dados positivos.

“Alguns estudos recentes mostram uma diminuição das taxas de incidência de colectomia (retirada cirúrgica total ou parcial do cólon) após a introdução de produtos biológicos. Mas ainda é necessário estudos futuros mais longos observando as tendências de indicações cirúrgicas para melhor caracterizar o papel da cirurgia em pacientes com RCUI”, destacou Silveira.

Deixe um comentário