Quando começar o rastreamento de câncer colorretal

Rastreamento do câncer intestinal é um conjunto de atitudes que permite identificar pólipos ou câncer no intestino de forma precoce, ou seja, em tempo de tratar e curar.

A maioria das pessoas tem baixo risco ou não apresenta sintomas de pólipos ou de câncer intestinal.

Por  isso existem algumas regras importantes para orientar o início do rastreamento, de acordo com o perfil individual e familiar de cada um.

Estes critérios de indicação para o início do rastreamento são fundamentados no risco individual para desenvolver o câncer intestinal.

Uma indicação objetiva para realizar exames para pesquisa de pólipos ou tumor é a presença de sintomas.

Tumores de intestino geralmente crescem de forma silenciosa. Nem todo sangramento pelo ânus provém de hemorroidas, assim como hemorroidas não causam câncer. Mas o sangramento proveniente de hemorroidas pode atrapalhar ou confundir o diagnóstico de câncer. Os sintomas de pólipos ou câncer intestinal só aparecem quando estão mais desenvolvidos. Por isso é recomendado consulta a um médico especialista, sempre que apresentar:

Sangramento ao defecar ou sangue nas fezes, mudanças no ritmo de funcionamento intestinal (diarreia e constipação alternados), vontade frequente de ir ao banheiro, sensação de gases ou distensão; dor ou desconforto abdominal ou anal; fraqueza, anemia e perda de peso sem causa aparente.

Em relação aos exames, o proctológico é o mais importante para detecção precoce do câncer do ânus e do reto. Este exame consiste no toque retal combinado à retossigmoidoscopia. Nos indivíduos com alto risco, ou naqueles que apresentam sintomas, o exame proctológico deve ser complementado pela colonoscopia.

Também é importante a pesquisa de sangue oculto, que é um teste laboratorial que verifica a presença de sangue não visível nas fezes.

Já a colonoscopia é o exame em que o médico especialista avalia, através de um equipamento óptico, todo o intestino por dentro. Este exame permite diagnosticar os pólipos, assim como possibilita retirá-los.

Mas, quando deve ser feito e como é o exame de rastreamento? Pessoas que não apresentam sintomas, não são portadores de doença inflamatória ou não possuem história familiar devem iniciar rastreamento a partir dos 50 anos. Já pessoas com sintomas intestinais devem iniciar os exame de imediato.

Aquelas com antecedente pessoal ou familiar de câncer do intestino, ovário, endométrio, mama, tireoide devem iniciar o rastreamento aos 40 anos (ou 10 anos antes do familiar com doença mais precoce) através de colonoscopia.

E pessoas com antecedente de doença inflamatória intestinal (retocolite ou doença de Crohn) o ideal é começar o rastreamento ao completar de 7 a 10 anos de tratamento da doença.

Medidas e atitudes para prevenção do câncer do intestino grosso

  • Alimentação e estilo de vida saudável são muito importantes
  • Consumo de fibras (25 a 30g de fibras), frutas e vegetais frescos
  • Redução de gorduras na dieta (principalmente as de origem animal)
  • Redução do consumo de gordura e de álcool
  • Cessar o hábito do fumar.

Fonte: Portal da Coloproctologia

Leave A Comment